Recife
+30°C
 
PARTICIPE:
siga o EncontraPE no Facebook
siga o EncontraPe no twitter siga o EncontraPe no Google+
Follow Me on Pinterest
 
Bem vindo ao EncontraPE - Estado de Pernambuco
Capital Recife
É realizado o Galo da Madrugada, o maior bloco de carnaval do mundo
Onde se encontra o arquipélago de Fernando de Noronha
 

 

Nasceu em 2008 o pernambucano Encontra Pernambuco com a missão de ser o maior Guia de Bairros
e cidades de Pernambuco
Todos os bairros de Recife e cidades PE
“ aqui Pernambucano Encontra ”


Foto Panorâmica de Pernambuco

Sobre o estado de Pernambuco (PE)

Pernambuco é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado no centro-leste da região Nordeste. Ocupa uma área de 98 311 km². Também fazem parte do seu território os arquipélagos de Fernando de Noronha e São Pedro e São Paulo. Sua capital é a cidade do Recife e a sede administrativa é o Palácio do Campo das Princesas.

Uma das primeiras regiões do Brasil a ser ocupada pelos portugueses, Pernambuco foi também o mais importante núcleo econômico e um dos principais núcleos políticos do período colonial. O estado teve ativa participação em diversos episódios da história brasileira: foi palco das Batalhas dos Guararapes, decisivas na Insurreição Pernambucana e consideradas a origem do Exército Brasileiro; e serviu de berço a movimentos de caráter nativista ou de ideais libertários, como a Guerra dos Mascates, a Revolução Pernambucana, a Confederação do Equador e a Revolta Praieira.

Pernambuco é atualmente o décimo estado mais rico do Brasil; e Recife a cidade com o maior PIB per capita entre as capitais da Região Nordeste. O estado abriga o maior parque tecnológico do Brasil; e o maior estaleiro do Hemisfério Sul. O nível de desenvolvimento social pernambucano é superior ao dos países menos avançados, mas ainda está abaixo da média brasileira. Pernambuco é também o terceiro estado menos desigual do país.

Conhecido por sua ativa e rica cultura popular, Pernambuco é berço de várias manifestações tradicionais, como o frevo e o maracatu, bem como detentor de um vasto patrimônio histórico, artístico e arquitetônico, sobretudo no que se refere ao período colonial.

Etimologia

A origem do nome Pernambuco é controversa. Alguns estudiosos afirmam que vem do nome tupi: pa'ra'nã = "mar" mais buka = ("furo de mar"), referência dada aos índios no canal de Santa Cruz que cerca a toda a Ilha de Itamaracá.

Segundo outros afirmam, era a denominação nas línguas indígenas locais da época do descobrimento para o pau-brasil. Pode se originar, ainda, da palavra tupi paranãbuku, que significa "mar comprido", através da junção dos termos paranã ("mar") e puku ("comprido, alto"). Os habitantes naturais do estado do Pernambuco são denominados pernambucanos.

História

Olinda foi a primeira capital administrativa de Pernambuco. Em 1501, ano seguinte ao da chegada dos portugueses ao Brasil, o território de Pernambuco, definido pelo Tratado de Tordesilhas como região pertencente à América portuguesa, é explorado pela expedição de Gaspar de Lemos, que teria criado feitorias ao longo da costa da colônia, incluindo, possivelmente na atual localidade de Igarassu, cuja defesa seria futuramente confiada a Cristóvão Jacques. O povoamento efetivo de Pernambuco, entretanto, inicia-se em 1534, quando a colônia portuguesa é dividida em capitanias hereditárias.

A Capitania de Pernambuco abrangia os atuais estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Alagoas e a porção ocidental da Bahia. Pernambuco foi a capitania mais rica do Brasil Colônia, e, no início do Século XVII, a maior e mais rica área de produção de açúcar do mundo.

Em 1535, Duarte Coelho tomou posse da capitania, a princípio batizada de "Nova Lusitânia", mas que pouco tempo depois recebeu a denominação que mantém até hoje. Em 1537, os povoados de Igarassu e Olinda, estabelecidos em 1535, junto com chegada do donatário, foram elevados a vila. Olinda recebeu o status de capital administrativa e seu porto, habitado por pescadores, daria origem à cidade de Recife.

Em pouco tempo, a capitania de Pernambuco se tornou a principal produtora de açúcar da colônia portuguesa. Consequentemente, era também a mais próspera e influente das capitanias hereditárias. Surge em Pernambuco o protótipo da sociedade açucareira dos grandes latifundiários da cana-de-açúcar, que perdurará de forma majoritária nos dois séculos seguintes. O cultivo da cana-de-açúcar adaptou-se facilmente ao clima pernambucano e ao solo massapê. A maior proximidade geográfica de Portugal, barateando o custo do transporte, a abundância do pau-brasil, o cultivo do algodão e os grandes investimentos feitos pelo donatário na fundação de vilas e na pacificação dos índios são outros fatores que ajudam a explicar o progresso da capitania. Tal prosperidade, entretanto, transformou a capitania em um ponto cobiçado por piratas europeus. Já em 1595, o corsário inglês James Lancaster tomou de assalto o porto de Recife e passou a saquear as riquezas transportadas do interior. Partiu um mês depois, levando as pilhagens em quinze embarcações.

Em 1630, a capitania foi invadida pela Companhia das Índias Ocidentais. Por ocasião da União Ibérica (1580 a 1640) a então chamada República Holandesa, antes dominados pela Espanha tendo depois conseguido sua independência através da força, veem em Pernambuco a oportunidade para impor um duro golpe na Espanha, ao mesmo tempo em que tirariam o prejuízo do fracasso na Bahia, uma vez que Pernambuco era o principal centro produtivo da colônia.

Em 26 de dezembro de 1629 partia de São Vicente, Cabo Verde, uma esquadra com 66 embarcações e 7.280 homens em direção a Pernambuco. Os holandeses, desembarcando na praia de Pau Amarelo, conquistam a capitania de Pernambuco em fevereiro de 1630 e estabelecem a colônia Nova Holanda. A frágil resistência portuguesa na passagem do Rio Doce, invadiu sem grandes contratempos Olinda e derrotou a pequena, porém aguerrida, guarnição do forte, porta de entrada para o Recife através do istmo que ligava as duas cidades.

O conde Maurício de Nassau desembarcou na Nieuw Holland, a Nova Holanda, em 1637, acompanhado por uma equipe de arquitetos e engenheiros. Nesse ponto começa a construção de Mauritsstad (atual Recife), que foi dotada de pontes, diques e canais para vencer as condições geográficas locais. O arquiteto Pieter Post foi o responsável pelo traçado da nova cidade e de edifícios como o palácio de Freeburg, sede do poder de Nassau na Nova Holanda, e do prédio do observatório astronômico, tido como o primeiro do Novo Mundo.

Recife foi a mais cosmopolita cidade das Américas durante o governo do conde alemão Maurício de Nassau. Por diversos motivos, sendo um dos mais importantes a exoneração de Maurício de Nassau do governo da capitania pela Companhia Holandesa das Índias Ocidentais, o povo de Pernambuco se rebelou contra o governo, juntando-se à fraca resistência ainda existente, num movimento denominado Insurreição Pernambucana.

Com a chegada gradativa de reforços portugueses, os holandeses por fim foram expulsos em 1654, na segunda Batalha dos Guararapes. Foi nesta ocasião que se diz ter nascido o Exército brasileiro.

Após a expulsão holandesa, o estado passou a declinar junto com restante do Nordeste, devido à transferência do centro político-econômico para o Sudeste, o que resultou em conflitos como a Revolução Pernambucana e a Confederação do Equador, movimentos separatistas pernambucanos.

Geografia

Pernambuco é um dos menores estados do país. Apesar disso, possui paisagens variadas: serras, planaltos, brejos, semi-aridez no sertão e diversificadas praias na costa. O estado tem altitude crescente do litoral ao sertão. As planícies litorâneas têm altitude de até 200m, apresentando relevo peneplano, e alguns pontos do planalto da Borborema ultrapassam os 1.000m de altitude. Na margem oeste da mesorregião Agreste, há a Depressão Sertaneja, uma depressão relativa com altitude média de 400m que se estende até a margem oriental da Chapada do Araripe.

Faz divisa com Paraíba e Ceará ao norte, Alagoas e Bahia ao sul, Piauí ao oeste e o oceano Atlântico ao leste. Tem 187 km de costa, excluindo a costa do arquipélago de Fernando de Noronha.

Relevo

Relevo acidentado em Gravatá, agreste, comum em boa parte do interior pernambucano. Alguns pontos do estado ultrapassam os 1.200m. O relevo é moderado: 76% do território estão abaixo dos 600m. O litoral é uma grande planície sedimentar, quase que em sua totalidade ao nível do mar, tendo alguns pontos abaixo do nível do mar, nessas planícies estão as principais cidades do estado, como Recife e Jaboatão dos Guararapes.

Distinguem-se, de leste para oeste: praias protegidas pelos recifes; uma faixa de tabuleiros areníticos, com 40 a 60m de altura; e a faixa de terrenos cristalinos talhados em colinas, que se alteiam suavemente para oeste até alcançarem 200m no sopé da escarpa da Borborema. Tanto a faixa de tabuleiros como a de colinas são cortadas transversalmente por vales largos onde se abrigam amplas várzeas, chamadas planícies aluviais.

Fortes contrastes observam-se entre os solos pobres dos tabuleiros e os solos mais ricos das colinas e várzeas. Nos dois últimos repousa a aptidão do litoral pernambucano para o cultivo da cana-de-açúcar, base de sua economia agrícola.

Vegetação

A cobertura vegetal do estado é composta por vegetação Litorânea, floresta Tropical, Caatinga e Cerrado. A vegetação Litorânea predomina em áreas muito próximas ao oceanos, por isso apresenta, matas, manguezais e cerrados, que recebem a denominação de tabuleiro.

A floresta Tropical originalmente conhecida como floresta Atlântica, é encontrada apenas na faixa leste do estado, cujo espécies se misturam com a caatinga na denominada Áreas de Tensão ecológica, na faixa de transição entre a zona da mata e agreste. Na floresta Atlântica, as matas registram a presença de árvores altas.

Demografia

Recife é o maior município de Pernambuco, e sua região metropolitana o maior aglomerado urbano do Norte-Nordeste do Brasil.

Segundo o censo demográfico de 2010 realizado pelo IBGE, em 2010, a população do estado de Pernambuco possuía 8 796 032 habitantes, sendo o sétimo estado mais populoso do Brasil, representando 4,7% da população brasileira. Segundo o censo de 2010, 4 230 681 habitantes eram homens e 4 565 767 habitantes eram mulheres.

O maior aglomerado urbano de Pernambuco é a Região Metropolitana do Recife, que além da capital possui mais 13 municípios. Com 3.688.428 habitantes no ano de 2010, é a 5ª mais populosa região metropolitana do Brasil e a mais populosa do Norte-Nordeste.

Religião

A religião verificável no estado varia entre católicos e evangélicos ao lado de minorias como espíritas e judeus. A maior religião do estado é a católica de acordo com dados do censo de 2000, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dos 7.918.344 dos habitantes que residiam no estado naquele ano, 70% declararam-se católicos (5,9 milhões), seguidos por evangélicos (1,1 milhão).

Bandeira

A bandeira de Pernambuco foi originada na revolução de 1817. Em seu primeiro desenho era incorporado símbolos pertinentes a ideais políticos, onde haviam três estrelas que representavam às capitanias insurgentes: Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. Já o arco íris, nas cores lilás e laranja, representavam o acordo oferecido aos que quisessem unir seus destinos aos de Pernambuco. A cruz estava relacionado ao primeiro nome do Brasil - Terra de Santa Cruz.

Ela é formada por duas faixas, uma superior e uma inferior. A cor azul do retângulo superior simboliza a grandeza do céu pernambucano; a cor branca representa a paz; o arco-íris representa a união de todos os pernambucanos; a estrela caracteriza o estado no conjunto da Federação, que na bandeira nacional é representado por Denebakrab; o Sol é a força e a energia de Pernambuco; finalmente, a cruz representa a fé na justiça e no entendimento.

Brasão

O governador Alexandre Barbosa Lima oficializou o Brasão do Estado do Pernambuco, através da lei estadual nº 75 em 1895. Em seu primeiro desenho, o escudo era no estilo redondo português de prata, onde havia uma donzela com uma cana-de-açúcar na mão direita, olhando sua imagem refletida em um espelho seguro por sua mão esquerda, simbolizando a verdade.

Formam o Brasão do estado de Pernambuco um Leão na parte superior (representando a bravura do povo pernambucano), um escudo contendo ramos de algodão e de cana-de-açúcar (caracterizando as riquezas), o Sol (representando a luz cintilante do equador), além das Estrelas, que caracterizam os municípios pernambucanos.

Subdivisões

O estado de Pernambuco, assim como todos os outros estados brasileiros, está politicamente dividido pelo IBGE em municípios. Ao total, existem 185 municípios pernambucanos, o que torna Pernambuco a décima primeira unidade da federação com o maior número de municípios e a quinta do Nordeste (atrás da Bahia, Piauí, Paraíba, e do Maranhão).

Os 185 municípios estão agrupados em cinco mesorregiões, São elas: Agreste Pernambucano, Metropolitana do Recife, São Francisco Pernambucano, Sertão Pernambucano, e Zona da Mata Pernambucana. E em 19 microrregiões, São elas: Alto Capibaribe, Araripina, Brejo Pernambucano, Garanhuns, Fernando de Noronha, Itamaracá, Itaparica, Mata Meridional, Mata Setentrional, Médio Capibaribe, Petrolina, Recife, Salgueiro, Sertão do Moxotó, Suape, Vale do Ipanema, Vale do Ipojuca, Vale do Pajeú, e Vitória de Santo Antão.

Cultura

A cultura pernambucana é bastante diversificada, uma vez que foi influenciada por indígenas, africanos e europeus.

Tendo sido uma das primeiras áreas efetivamente colonizadas por portugueses, ainda no século XVI, que aí encontraram as populações nativas e foram acompanhados por africanos trazidos como escravos, Pernambuco tem uma cultura bastante particular e típica, apesar de extremamente variada. Sua base é luso-brasileira, com grandes influências africanas e ameríndias.

Música e dança

O Frevo, um dos principais gêneros musicais e danças do estado e símbolo do Carnaval Recife/Olinda, se caracteriza pelo ritmo acelerado e pelos passos que lembram a capoeira. Esse gênero já revelou e influenciou grandes músicos, como Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Elba Ramalho, Zé Ramalho, Moraes Moreira, Armandinho, Pepeu Gomes, Antônio Nóbrega, Hermeto Pascoal, entre muitos outros. Antes da criação da axé music na década de 1980 o frevo era utilizado também no Carnaval de Salvador. Em cerimônia realizada na cidade de Paris, França, no ano de 2012, a UNESCO anuncia que, aprovado com unanimidade pelos votantes, o frevo foi eleito Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

O Manguebeat, gênero musical pernambucano que despontou na cena underground dos anos 90, revelou e influenciou diversos grupos musicais e artistas do estado, como Chico Science, Nação Zumbi, Otto, Lenine, Mundo Livre S/A, Cordel do fogo encantado, Mestre Ambrósio, Fred Zero Quatro, entre outros. O manguebeat foi criado pelo guitarrista Robertinho do Recife.

Festividades

Carnaval em Olinda. O Carnaval Recife/Olinda é considerado o mais democrático e culturalmente diverso do país. O Carnaval do Recife é um carnaval multifacetado, com formas diferentes de carnaval de rua, desfiles de agremiações carnavalescas e apresentações de cantores e conjuntos musicais em palanques específicos. O Recife possui o maior bloco carnavalesco do mundo, o Galo da Madrugada, que se apresenta no sábado de carnaval, ou "Sábado de Zé Pereira". Em 2006 o Galo reuniu mais de um milhão e meio de pessoas, mais que a população do Recife, façanha que o incluiu no Livro Guiness de Recordes. Em fins do Século XVII havia organizações, denominadas "Companhias", que se reuniam para comemorar a Festa de Reis. Essas companhias eram constituídas em sua maioria de pessoas de raça negra, escravos ou não, que suspendiam seus trabalhos e comemoravam o dia dos Santos Reis. Com a abolição da escravatura, começaram a aparecer agremiações carnavalescas baseadas nos maracatus e nos festejos dos Reis Magos. O primeiro clube carnavalesco de que se tem notícia foi o "Clube dos Caiadores", criado por Antônio Valente. Os participantes do clube compareciam à Matriz de São José, no bairro de São José, executando marchas. Seus participantes, levando nas mãos baldes, latas de tinta, escadinhas e varas com pincéis, subiam os degraus da igreja e a caiavam (pintavam), simbolicamente.

Em Pernambuco são realizadas das principais festas juninas do país. Os festejos de Caruaru, no agreste pernambucano, disputam com os de Campina Grande na Paraíba o título de Maior São João do Mundo, embora Caruaru já esteja consolidada no Guinness Book.

O Carnaval de Olinda é conhecido mundialmente pelos desfiles dos Bonecos de Olinda, bonecos de mais de dois metros, coloridos e de fácil localização, que saem às ruas junto com os foliões. Em seus primórdios, a história do carnaval de Olinda confunde-se com a história da folia no Recife e em Pernambuco. Tal como hoje a conhecemos, a maior festa popular do mundo é um evento relativamente recente, sendo marcado pelo surgimento de agremiações como o Clube Carnavalesco Misto Lenhadores, fundado em 1907, e o Clube Carnavalesco Misto Vassourinhas, de 1912, ambos ainda presentes nos carnavais da atualidade. O carnaval de Olinda preserva as mais puras tradições da folia pernambucana e nordestina. Todo ano, pelas ruas e ladeiras da Cidade Alta desfilam centenas de agremiações carnavalescas e tipos populares, que mantêm vivas as genuínas raízes da mais popular festa do Brasil. São clubes de frevo, troças, blocos, maracatus, caboclinhos, afoxés, cujas manifestações traduzem a mistura dos costumes e tradições de brancos, negros e índios, base da formação do nosso povo e de nossa cultura.

Turismo

O turismo no estado de Pernambuco oferece diversas atrações históricas, naturais e culturais. As principais localidades turísticas do estado de Pernambuco são: Fernando de Noronha, Porto de Galinhas, Cabo de Santo Agostinho, Olinda, Recife, Igarassu, Itamaracá, Gravatá, Triunfo, Garanhuns e Caruaru. A igreja católica mais antiga do país fica localizada em Igarassu e foi construída em 1535. O Galo da Madrugada é considerado o maior bloco carnavalesco do mundo, reunindo quase 2 milhões de pessoas.

Segundo a pesquisa "Hábitos de Consumo do Turismo Brasileiro 2009", realizada pela Vox Populi, Pernambuco foi o segundo destino turístico preferido dos brasileiros, já que 11,9% dos turistas optaram pelo estado nas categorias pesquisadas; e segundo a International Congress And Convention Association (ICCA), Pernambuco é o terceiro melhor polo de eventos internacionais do Brasil.

O litoral é o principal atrativo. Milhões de turistas desembarcam todos os anos no aeroporto do Recife. Há alguns anos o estado vem investindo intensamente na melhora da infraestrutura e em projetos de interiorização do turismo, como no desenvolvimento do ecoturismo.

O litoral do estado de Pernambuco tem cerca de 187 km de extensão, entre praias e falésias, zonas urbanas e locais praticamente intocados. Faz divisa ao norte com a Paraíba e ao sul com Alagoas. Além das praias, possui o arquipélago de Fernando de Noronha, Patrimônio Natural da Humanidade, e suas 16 praias.

Porto de Galinhas foi eleita por 10 vezes consecutivas a Melhor Praia do Brasil – segundo a Revista Viagem e Turismo, da Editora Abril. Outra famosa praia localizada no município de Ipojuca é Muro Alto. Pernambuco oferece dez rotas de turismo que vão do litoral ao interior criadas pela EMPETUR, que visam explorar os principais pontos turísticos de cada região do estado de acordo com suas potencialidades, que vão do turismo de sol e mar e ecoturismo ao turismo serrano e religioso.

Entre as praias mais procuradas do estado estão: Boa Viagem, Barra de Jangada, Calhetas, Porto de Galinhas, Serrambi, Guadalupe, Praia dos Carneiros, Maria Farinha, Nossa Senhora do Ó, Ilha de Itamaracá e a Ilhota da Coroa do Avião.

O município de Bonito, no agreste de Pernambuco, é o principal destino de turismo de aventura no estado. Em meio a cachoeiras e natureza exuberante, pratica-se rapel, tirolesa, trekking, arborismo, entre outras atividades. O arquipélago de Fernando de Noronha tem destaque nacional e mundial. Pelas ilhas é possível avistar os golfinhos saltadores. As principais atrações do arquipélago são: Forte de Nossa Senhora dos Remédios de Fernando de Noronha, Vila dos Remédios, Praia da Conceição, Praia do Boldró, Baía dos Porcos, Baía do Sancho, Baía dos Golfinhos, Praia da Cacimba do Padre, Morro Dois Irmãos, Reduto de São Joaquim de Fernando de Noronha, Reduto de Santa Cruz do Morro do Pico de Fernando de Noronha e Reduto de Santana de Fernando de Noronha. Todo o arquipélago é tombado pelo Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO.

 

Índice

Outros estados

Dados

Gentílico:pernambucano (a)

Bandeira de Pernambuco
(Bandeira)

Brasão de Pernambuco
(Brasão)

Localização

Região Nordeste
Estados limítrofes: Bahia, Piauí, Alagoas, Ceará e Paraíba
Mesorregiões: 05
Microrregiões:19
Municípios: 185

Capital

Recife

Governo (2011 a 2014)

Governador Eduardo Campos (PSB)
Vice-Governador João Lyra Neto (PDT)
Deputados Federais: 25
Deputados Estaduais: 49
Senadores: Armando Monteiro Neto (PTB), Jarbas Vasconcelos (PMDB), Humberto Costa (PT)

Indicadores (2008)

Esper. de vida 69,1 anos (25º)
Mort. Infantil 17,0‰ nasc. (17º)
Analfabetismo 16,7% (20º)
IDH 0,718 (23º) - médio - 2005

Características geográficas

Área 98 311,616 km² (19º)
População
8 931 028 hab. (7º) (2012)
Densidade
90,84 hab./km² (6º)
Clima tropical atlântico, semiárido e mesotérmico
Fuso horário UTC-3

Economia (2007)

PIB R$95,187 bilhões (10º)
PIB per capita R$10 821,55 (20º)

Site do governo

www.pe.gov.br